Posts Marcados: contemplação

Amar: Verbo Intransitivo

Ela repetia sempre “Carlos”, era a sensualidade dela. Talvez de todos… Se você ama, ou por outra se já deseja no amor, pronuncie baixinho o nome desejado. Veja como ele se moja em formas transmissoras do encosto que enlanguesce. Esse

Amar: Verbo Intransitivo

Ela repetia sempre “Carlos”, era a sensualidade dela. Talvez de todos… Se você ama, ou por outra se já deseja no amor, pronuncie baixinho o nome desejado. Veja como ele se moja em formas transmissoras do encosto que enlanguesce. Esse

O Teu Riso

Tira-me o pão, se quiseres, tira-me o ar, mas não me tires o teu riso. Não me tires a rosa, a lança que desfolhas, a água que de súbito brota da tua alegria, a repentina onda de prata que em

O Teu Riso

Tira-me o pão, se quiseres, tira-me o ar, mas não me tires o teu riso. Não me tires a rosa, a lança que desfolhas, a água que de súbito brota da tua alegria, a repentina onda de prata que em

Vê… Repara

Meu amor, meu Amado, vê… repara: pousa os teus lindos olhos de ouro em mim, – dos meus beijos de amor Deus fez-me avara para nunca os contares até ao fim. Meus olhos têm tons de pedra rara – É

Vê… Repara

Meu amor, meu Amado, vê… repara: pousa os teus lindos olhos de ouro em mim, – dos meus beijos de amor Deus fez-me avara para nunca os contares até ao fim. Meus olhos têm tons de pedra rara – É

Para meu Coração Basta teu Peito

Para meu coração basta teu peito para tua liberdade bastam minhas asas. Desde minha boca chegará até o céu o que estava dormindo sobre tua alma. E em ti a ilusão de cada dia. Chegas como o sereno às corolas.

Para meu Coração Basta teu Peito

Para meu coração basta teu peito para tua liberdade bastam minhas asas. Desde minha boca chegará até o céu o que estava dormindo sobre tua alma. E em ti a ilusão de cada dia. Chegas como o sereno às corolas.

Astronauta Lírico

Vou viajar contigo essa noite Conhecer a cidade magnífica Velha cidade supernova Vagando no teu passo sideral Quero alcançar a cúpula mais alta Avistar da torre a via-láctea Sumir ao negro das colunas Resplandecer em lâmpadas de gás Eu, astronauta

Astronauta Lírico

Vou viajar contigo essa noite Conhecer a cidade magnífica Velha cidade supernova Vagando no teu passo sideral Quero alcançar a cúpula mais alta Avistar da torre a via-láctea Sumir ao negro das colunas Resplandecer em lâmpadas de gás Eu, astronauta

Mistérios

Um fogo queimou dentro de mim Que não tem mais jeito de se apagar Nem mesmo com toda água do mar Preciso aprender os mistérios do fogo pra te incendiar Um rio passou dentro de mim Que eu não tive

Mistérios

Um fogo queimou dentro de mim Que não tem mais jeito de se apagar Nem mesmo com toda água do mar Preciso aprender os mistérios do fogo pra te incendiar Um rio passou dentro de mim Que eu não tive

Amor Vivo

Amar! Mas d’um amor que tenha vida… Não sejam sempre tímido a arpejos, Não sejam só delírios e desejos D’uma douda cabeça escandecida… Amor que viva e brilhe! Luz fundida Que penetre o meu ser – e não só beijos

Amor Vivo

Amar! Mas d’um amor que tenha vida… Não sejam sempre tímido a arpejos, Não sejam só delírios e desejos D’uma douda cabeça escandecida… Amor que viva e brilhe! Luz fundida Que penetre o meu ser – e não só beijos